A rinite alérgica é uma doença inflamatória crónica da mucosa nasal resultante da exposição a determinados estímulos (alergénios), aos quais o sistema imunológico reage, ocorrendo inflamação. Os principais alergénios responsáveis são os ácaros do pó da casa, pólenes (cujas concentrações no ar aumentam na primavera), pelos de animais, fungos e poeiras. Sabe-se igualmente que existe uma predisposição genética que influencia a presença desta condição médica.

     Na sequência do contacto com determinados alergénios, podem ocorrer vários sintomas entre os quais os mais prevalentes são os espirros, a congestão nasal, comichão no nariz e corrimento nasal. Em associação, também é possível encontrar outros problemas do foro respiratório como a asma (risco aumentado), rinoconjuntivite, rinossinusite, otites, problemas de sono e alteração da qualidade de vida por interferência nas atividades diárias.

        Para ajudar a controlar a rinite alérgica, podemos ter em consideração alguns aspetos:

- Manter uma boa higiene das fossas nasais, limpando-as regularmente com soro fisiológico ou água do mar

- Evite a exposição aos alergénios responsáveis, bem como ao fumo, a perfumes e a produtos com cheiro intenso

- Ventile e areje todas as divisões da casa, com especial destaque do quarto

- Evite tapetes, alcatifas, peluches, livros e tudo o que acumule pó

- Aspire bem o chão e o colchão

- Lave semanalmente os lençóis a temperaturas elevadas (+60°C)

- Evite atividades ao ar livre quando as concentrações de pólenes forem mais elevadas

- Use óculos de sol ao ar livre

 

Para mais informações e conselhos, fala com o seu Farmacêutico e descubra o cuidado adequado para si.